quinta-feira, 13 de setembro de 2018

FIT Lab - Testemunho Daniel Antunes


"Se é para pontuar o meu percurso, tenho que começar na maternidade. Nasci um bebé obeso (5.12kg), adjetivo este que nunca tive tendência a contrariar durante a minha infância e me trouxe inúmeras revoltas na adolescência. Quando o acne estava no auge, era jogador federado de Andebol (durante 6 anos) e descobri uma paixão pelo halterofilismo. Assimilados ao excesso de peso, estes desportos acabaram por me trazer uma lesão grave no joelho, que tem sido a minha desculpa emocional para o facto de ter chegado a um assustador peso de >140kg.

Vestindo um ridículo 64 de calças, a necessidade de mudar estava evidente. Começou na cozinha. Começou na simplicidade daquilo que todos temos consciência: nada de refrigerantes, nada de álcool, nada de chocolates/doces, etc. Descobri também o jejum intermitente. A nutrição estava a dar resultados então precisava de alimentar esses resultados com actividade física. HIRT sempre me pareceu algo assustador e para atletas, dito “atletas”. Decidi tentar. “Tentar” foi certamente a palavra de ordem durante o primeiro mês. Os pós treinos recheados de cãibras e lágrimas de dores musculares diziam-me que isto era uma loucura, no entanto os resultados eram um indício forte de que esta modalidade era a resposta.

Não me alongo em sentimentalismos pelos Crowd Trainers, no entanto, pontuar aqui um “obrigado”, o meu corpo e o meu estilo de vida actual deve-se a esta equipa.

Actualmente, estou na melhor forma física de que há memória. A palavra “tentativa” transformou-se em “orgulho” e o adjetivo “gordo” deixou de ser associado ao meu nome.


Aquilo que alcancei pode ou não ser surpreendente para muitos mas certamente que para mim foi a maior vitória da minha vida, até então, e um incentivo a que muitos façam o mesmo!
No passado, pesei mais de 140kg. Entrei para o FITSalvador abaixo dos 130kg.
Hoje peso 87kg, com um índice de MG de 16%."

Daniel Antunes.



quarta-feira, 6 de junho de 2018

Convocatória AG


Convocam-se os Associados da Associação FitSalvador, para uma Assembleia Geral Ordinária, que terá lugar na Sede Social, sita à Rua Tenente Sanches Miranda, N.º 68, Beja, no dia 22 de Junho de 2018, pelas 18H30, com a seguinte ordem de trabalhos:
1. Apreciar, discutir e votar o relatório e contas de gerência do exercício de 2017;
Se à hora marcada, não se verificar a presença de mais de metade dos associados com direito a voto, a reunião efetuar-se-á meia hora depois com qualquer número de associados presentes.

Beja, 6 de Junho de 2018

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral
Maria Filomena Bento

terça-feira, 22 de maio de 2018

Aula de Yoga - Parque da Cidade 26/05 9H30

No âmbito do projeto "Um Dia Pela Vida", a equipa dos Lírios do Campo organizaram uma aula de yoga, a realizar no próximo sábado, dia 26 de maio, às 9h30.



quarta-feira, 2 de maio de 2018

Obrigado Rúben!


Chegou tímido, todo riscado…

A meio do processo quase que o perdemos para o Gustavo Santos…

No final de contas… não fizemos nada dele.

Só nos resta fazer uma despedida em grande…

Não esperem lamechices… lágrimas só para entrar! <-- http://www.FITSalvador.com/2016/04/im-fitsalvador-crowd-trainer.html

Para sair em grande são apenas 2 palavras: HIRT & BEER

Quarta-Feira dia 2 pelas 18h45 sessão única de HIRT!!!
A seguir… CERVEJAAAAAAAAAAA

Todos convidados! Atletas (Beja, Cabeça Gorda, EDIA…), ex-atletas!

Obrigado Rúben!

Se fosse fácil… não tinhas sido mais um erro de casting…

Desenho: Flávio Horta Art. (FACEBOOK)

Obrigado Rúben!




quinta-feira, 26 de abril de 2018

Corrida Cidade de Beja - 13 de Maio 2018 - 10km


A 13 de Maio próximo está de regresso mais uma edição da Corrida Cidade de Beja, este ano com a sub denominação "10km Fernando Mamede" em homenagem ao ex. recordista mundial da distância em pista, com raizes na capital do baixo alentejo.

À presente edição juntamos também um novo percurso, totalmente citadino, com início no Regimento de Infantaria 1 e término na magnífica Praça da República.

Para além da prova oficial de 10km, teremos também a vertente caminhada de 6,5km, onde todos podem participar.

A Corrida Cidade de Beja é também um evento solidário! Venha correr ou caminhar por uma boa causa!

Os valores angariados nesta iniciativa reverterão este ano para o grupo de apoio de Beja da Liga Portuguesa Contra o Cancro.
Aproveite partilhe o evento com os seus amigos e familiares, e venha divertir-se connosco!






terça-feira, 6 de março de 2018

FITKinder - Passar o tempo ou preparar o futuro?

Por mais que os processos de desenvolvimento e crescimento possam ocorrer simultaneamente e apareçam muitas vezes associados, não quer dizer que seja processos biologicamente idênticos.

Bogin (1998), define crescimento como o conjunto de modificações quantitativas de tamanho ou de massa e desenvolvimento como o conjunto de alterações que conduzem um organismo, de forma progressiva, desde um estado indiferenciado ou imaturo até a um estado organizado, especializado ou maturo.
Todos os seres humanos apresentam um tempo de crescimento muito demorado, especialmente se considerarmos o tempo que passa desde o inicio da primeira infância e o inicio da aceleração de crescimento da adolescência. Esta “demora” permite a maturação cerebral e serve para potenciar a nossa sobrevivência através das aprendizagens cognitivas, emocionais e sociais. (Fragoso, 2010)

Os processos biológicos responsáveis pelas modificações, desde a concepção até à idade adulta são:
  • Hiperplasia – aumento do número de células, que ocorre em consequência da divisão celular
  • Hipertrofia – aumento do volume celular, que resulta no aumento das unidades funcionais das células (proteínas e outros substratos) tal como acontece nas células adiposas que aumentam por incorporação dos triglicéridos no seu citoplasma.
  •  Agregação- ou aumento da capacidade das substâncias intercelulares ligarem as células entre si e formarem um sistema de rede.


A fase de crescimento na qual o organismo se encontra determina o processo utilizado.
Os diferentes tecidos e órgãos não crescem em simultâneo porque o corpo faz a gestão das reservas de energia que dispõe para obter uma maior eficiência do processo de crescimento. Isto abre lugar a momentos de maior estabilidade no crescimento morfológico, dimensional e estabilidade proporcional, favorecendo a obtenção de novas aprendizagens. (Fragoso, 2010)


Basicamente, o que fazemos durante a vida é criar, perceber e adaptar estratégias de utilização de energia que nos permitam crescer (para cima ou para os lados) de modo eficiente.



O processo de crescimento mantém um trajecto normal e geneticamente estabelecido, o que é percetível se observarmos os gráficos de referência relativos ao crescimento infantil. Podemos distinguir 4 tipos de crescimento:
1.       Tipo linfoide
2.       Tipo neural
3.       Tipo genital
4.       Tipo geral


As representações gráficas do crescimento são feitas a partir de medidas absolutas e recorrendo a curvas de crescimento que podem ser de dois tipos: distância ou velocidade.




Assim, a curva de distância representa o produto do crescimento num determinado momento enquanto que a curva de velocidade representa o processo de crescimento, ou seja, os momentos de maior ou menor aceleração de crescimento.
É certo e sabido da existência de ritmos de crescimento diferentes e específicos para cada estrutura morfológica e a alternância entre os períodos de máxima velocidade de crescimento com períodos em que a velocidade é mínima permitem definir diferentes fases de crescimento. Estas fases são distinguidas pelas diferenças da morfologia externa e das capacidades funcionais.
O facto de enquanto equipa termos optado por dividir as turmas por escalões (ex: FITkinder, CrossKIDS) foi ponderado e teve em conta os períodos sensíveis de aprendizagens das diferentes habilidades motoras. Para que entendam melhor o trabalho que fazemos com os vossos filhos, utilizaremos um quadro de Fragoso e Vieira (2006) para resumir cada uma das fases de crescimento.


Tabela 1- Quadro resumo das fases de crescimento segundo Fragoso & Vieira


Fase intra uterina
Periodo Germinativo
Até às 4 semanas e corresponde ao período de formação dos três folhetos embrionários.
período embrionário
Organogénese e Morfogénese – Desde a 4ª à 8ª semana de desenvolvimento: os folhetos germinativos dão origem aos diferentes órgãos e tecidos e o embrião passa a apresentar forma humana.
Período fetal
Entre a 9ª semana e o nascimento: Crescimento e maturação dos tecidos anteriormente formados.

FASE PÓS-NATAL
1ª INFÂNCIA
(0-3 anos)
Período neonatal – primeiros 28 dias de vida: período de adaptação, ajustamento e aperfeiçoamento das funções fisiológicas e sensoriais às novas condições do envolvimento.
Até ao final do 2º ano de vida: crescimento e desenvolvimento rápido, os aumentos de massa corporal e estatura são respectivamente de 150-200% e 50%.
2ª infância
(3-8 A 12 ANOS)
Período de relativa estabilidade. O crescimento processa-se de uma forma lenta, não se verificando grandes alterações morfológicas.
2ª FASE DA 2ªiNFÂNCIA
3ª iNFÂNCIA PERIODO JUVENIL
Período de grande desaceleração de crescimento. Termina quando se dá inicio à última aceleração do crescimento.
Adolescência
(entre os 9 e 13 anos)
Aceleração e desaceleração intensa do crescimento esquelético. Alteração na composição corporal devido ao crescimento musculo-esquelético e às variações na quantidade e distribuição do tecido adiposo. Desenvolvimento dos sistemas circulatórios e respiratório. Aumento da força e resistência. Desenvolvimento das gónadas, órgãos reprodutores e das características sexuais secundárias. Combinação neuroendócrina que desencadeia e coordena as transformações pubertárias. Definição do tipo morfológico final.
idade adulta
Inicia-se no momento em que toda as estruturas morfológicas cessam o seu crescimento e desenvolvimento.

A nossa intervenção passa essencialmente pela segunda infância porque sabemos que é um excelente período para a aprendizagem. É neste período que as crianças atingem os padrões maturos de todas as habilidades motoras fundamentais. O crescimento está numa fase relativamente baixa e constante enquanto que o sistema nervoso está muito próximo do seu estado adulto. Isto permite à criança integrar o seu esquema corporal de forma consistente e duradoura e ao mesmo tempo aprender todas as habilidades motoras.
Nesta fase, o aumento relativo dos membros inferiores e das medidas transversais em conjunto com a diminuição relativa da gordura corporal e a sua redistribuição conferem à criança uma grande linearidade. Isto faz com que as crianças apresentem uma enorme predisposição à actividade física espontânea. (Fragoso, 2010)

Hoje em dia, face aos factores socioeconómicos e aos condicionamentos dos tempos livres, as crianças passam a maior parte dos seus tempos em actividade sedentárias. A organização temporal que nos dias de hoje é imposta às crianças, tem consequências irreparáveis e contribui para o aumento da obesidade e do estabelecimento de tipos morfológicos que contrariam as características normais desta fase de crescimento.





Além dos benefícios na performance académica (clica AQUI) ,só a participação regular em actividades físicas organizadas não garante por si só o adequado fortalecimento muscular dos jovens. Todos sem excepção devem reconhecer os benefícios potenciais do desenvolvimento da força e das habilidades motoras básicas nestas idades. 
Por fim, respondendo à pergunta: Estamos a preparar um futuro melhor para o/a seu filho/a!



PS: Num próximo post falaremos sobre os mitos e verdades inerentes ao treino de força em jovens.


Bibliografia

Bogin, B. (1998). Patterns of Human Growth. Cambridge: Cambridge University Press.

Fragoso, I. (2010). Talento. Lisboa: Faculdade Motricidade Humana.