quinta-feira, 9 de abril de 2015

FIT Rehab: Pontos de Gatilho e dor Miofascial

Por João Espírito Santo, Osteopata e consultor FITsalvador:

"Muitas pessoas não sabem mas muito provavelmente as dores que experienciam durante o dia-a-dia podem ser de origem miofascial, mais precisamente originada por pontos gatilho ou Trigger Points (TrP). Esta condição miálgica denomina-se Síndrome de dor Miofascial (Myofascial pain syndrome), caracterizada por dor local ou noutra parte do sistema múculoesquelético, que tem origem num ponto gatilho. O termo ponto gatilho miofascial serve para descrever uma zona de dor intensa num conjunto de fibras musculares contraídas de um músculo que, quando estimulado, a dor é sentida noutro local.

Um ponto gatilho pode estar ativo ou latente, sendo que, quando está ativo apresenta dois atributos. O primeiro é a disfunção motora de um músculo que é caracterizado por uma contractura constante (taut band) no seu ventre, sendo possível a sua palpacão. O outro atributo refere-se a uma anomalia sensorial caracterizada primordialmente por dor. A dor pode ser local, no espaço da taut band, ou distante, sendo neste caso localizada noutra região do corpo.

O mecanismo subjacente à origem de um ponto gatilho ainda não está bemconhecido, no entanto, sabe-se que é um fenómeno neuro-músculo-químico provocado por uma alteração da junção neuromuscular. De uma forma sintética o aumento da atividade elétrica presente num local com um ponto gatilho ativo prende-se com o aumento da concentração de acetilcolina (ACh) na fenda sináptica conduzindo a alterações dos seus receptores específicos (AChR). No que à dor miofascial diz respeito, esta acontece pela estimulação dos nociceptores musculares derivada da libertação de substâncias do músculo lesionado, como o peptídeo relacionado com a calcitonina (CGRP), bradicinina (BK), 5-hidroxitriptamina (5-HT), prostaglandinas e potássio (K+).

O tratamento deste síndrome normalmente faz-se pela inibição dos pontos gatilho que o caracterizam. Esta inibição pode ser realizada de várias formas, desde compressão manual e alongamento, Dry Needling (punção seca) e/ou injeção local de um anestésico.

Como osteopata verifico que a maioria dos meus pacientes apresentam pontos gatilho associados muitas vezes a disfunções somáticas. A intervenção realizada sobre estas duas condições tem tido um elevado grau de sucesso na resolução das manifestações álgicas dos meus pacientes.

Associado a estas intervenções, se o paciente combinar exercício físico corretamente executado, estará salvaguardado, no futuro, de episódios álgicos agudos.

Referências:
Mense, S. (2003) The pathogenesis of muscle pain. Curr Pain Headache, 7:419-425.
Simons, D.G.; Travel, J.G. & Simons, Ls (1999) Myofascial Pain and Dysfunction: The Trigger Point Manual, vol 1, ed. 2. Baltimore: Williams and Wilkins."

Para além da consultoria gratuita através do email rehab@FITsalvador.com, em Beja o João dá consultas às quarta-feiras e sábados na clínica de Haloterapia HALOVIDA. (30% desconto atletas FITsalvador)

Sem comentários:

Publicar um comentário