segunda-feira, 22 de setembro de 2014

FIT Rehab: Meias de Compressão... afinal para que servem?

O mercado do Fitness está impregnado de oportuni(stas)dades de negócio, e até creio já ter lido que tem sido o mercado em maior expansão de há uns anos para cá...

Imaginem o milhões facturados em passadeiras, bicicletas reclinadas/spinning, plataformas vibratórias, e outros acessórios que pouco ou nada servem à fisiologia e ao movimento humano...

Ou os milhões facturados por sessões pré-coreografadas como as Les Milles ou até o famoso CrossFit...

Enfim, nós vamos mantendo a premissa EVIDENCE vs BULLSHIT, a evidência precede os nossos treinos e não a tendência e as modas!

E um dos chavões que aventamos aos nossos atletas relativamente às novas modas (sejam suplementação, vestuários, etc...) é: "se te ajuda a treinar, ou a recuperar, então não interessa!".

Efectivamente não queremos facilidades induzidas, mas sim sair da ZONA DE CONFORTO!

Agora, se umas meias nos motivam e nos mantém fidelizados ao novo estilo de vida, então há soluções bem mais baratas =)

Por João Espírito Santo, Osteopata e consultor FITsalvador:

"Em conversa com o André, ele desabafou, que cada vez mais tinha atletas a treinar com meias de compressão. Para ele a utilização deste equipamento vai contra a filosofia FITsalvador, em que em cada treino, os atletas estão em constante desafio, fora das suas zonas de conforto, tendo como objetivo primordial a alteração da composição corporal pelos meios de recuperação intrínsecos e naturais do nosso organismo. Por outro lado, é preciso ter em conta que cada par deste equipamento ronda o valor de 30-60€.

Desta forma, fui desafiado pelo meu amigo André a dar a minha opinião sobre as meias de compressão e a sua utilidade. Quem me conhece, sabe que gosto de ter a ciência por detrás do que digo e do que faço. Segundo a minha pesquisa relativa à utilização deste equipamento, em termos de
evidências científicas, verificam-se alterações significativas na melhoria da performance desportiva e na recuperação pós-treino.

Passo então a explicar.

O sangue arterial é bombeado pelo coração para todo o corpo circulando pelas artérias transportando nutrientes e oxigénio. Retorna ao coração pelas veias, sobre a forma de sangue venoso. A este retorno dá-se o nome de retorno venoso. Ao nível do retorno venoso dos membros inferiores, existem mecanismos fisiológicos que auxiliam o transporte do sangue venoso para o coração, nomeadamente, a palmilha de Lejars e a bomba tóraco-diafragmática. Curiosamente existem diferentes atividades físicas consideradas benéficas para o retorno venoso por exemplo: a caminhada de intensidade moderada, a natação e o yoga.

Durante o exercício físico três quartos da energia fornecida é convertida em calor. Em ambiente térmico neutro a temperatura muscular pode chegar aos 41° C. Por forma a baixar a temperatura corporal, o sangue venoso profundo “muda-se” para a periferia, permitindo a troca de calor o que provoca a dilatação do sistema venoso superficial, pele, músculo e fáscia. Normalmente a temperatura retorna ao normal após cerca de 45 minutos de descanso. No caso de uma atividade física prolongada ou inadequada, pode ocorrer um "sobreaquecimento", uma estase venosa, um aumento das toxinas e uma diminuição da oxigenação, expondo as fibras musculares a danos.
 
Posto isto tudo, o que as meias de compressão fazem é, como o próprio nome indica, uma compressão progressiva dos tecidos. O objetivo primordial é potenciar o retorno venoso e a absorção linfática através de uma compressão progressiva.
 
Sou sincero, eu próprio tenho umas meias de compressão que utilizo quando jogo umas “futeboladas” com os amigos e noto diferença no que diz respeito a um menor desconforto no pós exercício. No entanto, discordo TOTALMENTE de quem compra este equipamento por pensar que o(a) vai favorecer a emagrecer ou, pura e simplesmente, porque fica bem com uns calções ou shorts!!

Referências:
COUZAN S., POUGET J.F., PRÜFER M., FERRET J.M., MISMETTI P. (2000). Study of the athletes venous system by Doppler scan with pressures measurement and the perfecting of a new elastic compression concept. Int Angiol, june, 19 (suppl.1 to No 2): 41.
COUZAN S., ASSANTE C., LAPORTE S., MISMETTI P., POUGET J.F. (2009). Etude Booster: evaluation comparative d’un nouveau concept de compression élastique dans l’insuffisance veineuse
chronique légère et modérée. Presse Med., 38: 355-361.
BOUTEN L. (2009). Identification des propriétés mécaniques des tissus constitutifs du mollet pour l’étude mécanique de la contentio progressive. Thèse de Doctorat de l’Ecole Nationale Supérieure des Mines de Saint Etienne – Spécialité: Mécanique et Ingénierie."

Para além da consultoria gratuita através do email rehab@FITsalvador.com, em Beja o João dá consultas às quarta-feiras e sábados na clínica de Haloterapia HALOVIDA. (30% desconto atletas FITsalvador)

Sem comentários:

Publicar um comentário