quinta-feira, 27 de março de 2014

FITdador - Dia Nacional do Dador de Sangue


Já comentámos que passar mensagens ou sensibilizar através de situações ridículas pode ser mais eficaz do que muita formalidade... (lembremo-nos do fantástico documentário Treino vs Nutrição)

Assim, vou contar a minha história ridícula em como me tornei dador de sangue...

Sempre ouvi falar em doar sangue seja através do exemplo do meu pai, ou de amigos como o nosso atleta João Oliveira, mas nunca foi assunto que me "abanasse".


Até que um dia o João comentou, após uma das suas incursões aos serviços de recolha de sangue, que lhe tinham oferecido um lanchinho muito agradável...

Já podem imaginar que a primeira vez que dei sangue foi porque estava com uma certa larica, sem um tostão no bolso, e a passar perto do hospital...

Desde aí (2002) até hoje, de 3 em 3 meses, faço questão de repetir o gesto não só por efectivamente me oferecem uma merenda muito agradável (bolo, salgado, sumo, fruta, café), mas também pela simpatia e profissionalismo de todo o staff do serviço de Imunohemoterapia do Hospital de Beja.

As recompensas não são apenas para o estômago, para além da atitude altruísta que nos faz sentir minimamente útil à sociedade e ao próximo, também há benefícios para o dador:

  • Análises ao sangue gratuitas. Sempre que derem sangue um técnico, médico(a) ou enfermeiro(a) monitorizará, entre outras, a sua tensão arterial;
  • Prevenção do risco de doenças cardiovasculares, baixar a tensão arterial e beneficiar de um bem-estar geral;
  • É um estímulo à medula para a produção de células sanguíneas.
 Seja herói por um dia. DÊ SANGUE! 
André Bento
Dador nº 20302372

Sem comentários:

Publicar um comentário