domingo, 8 de setembro de 2013

FIT Rehab: Calor e a sua aplicação nas lesões músculo-esqueléticas

 
O talento do nosso Osteopata de serviço não é só reconhecido pelos atletas FITsalvador...

Para além do impressionante currículo e dos vários cargos assumidos, o João "põe as mãos" também no plantel do Sport Lisboa e Benfica (glorioso para alguns...).

Nesta foto podem ver uma Avaliação Postural Osteopática do atleta Rodrigo.

Parabéns João!!
Qualquer dia vamos nós pôr-lhes as mãos em cima!!!

E para este mês, o João deixa algumas dicas relativamente ao calor aplicado às lesões músculo-esqueléticas.

Por João Espírito Santo, Osteopata e consultor FITsalvador:


"Este mês continuamos a falar sobre as modalidades térmicas que podem ser utilizadas em prol da melhoria de lesões músculo-esqueléticas, nomeadamente, o uso do calor como agente terapêutico.

Muitos de nós, provavelmente, já viram alguém conhecido a recorrer ao calor para, por exemplo, aliviar as dores nas costas. Quem não viu a avó a recorrer ao “saquinho de água quente” e o colocar nas “cruzes”...
Tomemos em consideração os próximos tópicos, para uma correta utilização do calor como agente terapêutico:

1. Porque é que o calor diminui o espasmo muscular ou cãibra?
Tanto a um nível superficial como a um nível profundo o calor aplicado foi considerado como um meio de diminuição do tónus muscular. O mecanismo fisiológico para este efeito é explicado pela diminuição das taxas de ativação das fibras eferentes do fuso muscular quando o calor é aplicado.

2. Qual é o efeito que a aplicação do calor vai produzir na circulação sanguínea local?
A aplicação do calor na pele vai resultar num aumento do fluxo sanguíneo levando à vasodilatação local (maior concentração de sangue). Este aumento do fluxo sanguíneo local, aumenta também a entrega de oxigénio e de nutrientes na região onde foi aplicado o calor

3. Até que profundidade foi detetada alteração da temperatura dos tecidos pela aplicação de calor superficial?
Foram detetadas alterações de temperatura nos tecidos até 1 a 2 cm de profundidade. Esta profundidade pode ser suficiente para aquecer os tecidos da mão. No entanto, em outras áreas do corpo o tecido subcutâneo pode impossibilitar a condução térmica para os tecidos alvo. O calor superficial aquece as estruturas mais profundas por condução térmica.

4. Qual é a temperatura terapêutica desejada nos tecidos produzida pelo calor?
Os efeitos terapêuticos são atingidos quando a temperatura dos tecidos atinge os 41º a 45º C. Quando os tecidos atingem temperaturas acima de 45º C pode ocorrer lesão tecidular.

5. Será a utilização de panos quentes eficaz no tratamento da dor lombar?
Um grupo de investigadores estudou este tema sob a forma de ensaios clínicos controlados. Pelas conclusões do estudo, verificou-se uma diminuição significativa no alívio da dor, na diminuição do espasmo muscular e no aumento da flexibilidade.

6. Qual a duração da aplicação do calor?
10 a 15 minutos de aplicação de calor produz os efeitos terapêuticos necessários.

Referências:
Fedorczyk, J. (1997): The role of physical agents in modulating pain. J Hand Ther 10:110-121;
Michlovitz SL: (1990) Thermal agents in rehabilitation. Philadelphia:FA Davis."

Para além da consultoria gratuita através do email rehab@FITsalvador.com, em Beja o João dá consultas às quarta-feiras e sábados na clínica de Haloterapia HALOVIDA. (30% desconto atletas FITsalvador)

Sem comentários:

Publicar um comentário