domingo, 28 de abril de 2013

Treinos Para Casa [TPCs] #9 - Maio

v 2.0

v 1.0
video

Aqui vai o resumo do TPC do mês de Maio!

Aceda ao treino completo em alta definição no Kanal Meo 
Canal nº 642236 – Laboratório FITsalvador no MEO Kanall 
Acompanhe em DIRECTO o nossos treinos [Live Workout]
Se pretender adquirir os 2 DVDs com os 10 treinos completos preencha o formulário.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Principal razão porque tardam os resultados...

Motivar terceiros nunca foi o meu forte… sou demasiado introvertido e egocêntrico para o fazer em condições…

No máximo uns chavões como este: o que não te mata torna-te mais forte!

Se obtiverem resultados, pouco importa se grito, se alinho em auto-comiserações, se faço psicologia invertida… não é a minha praia…

Claro que é um gap na minha formação! A motivação dos clientes é quase uma manual de sobrevivência dos PT's (Personal Trainers), ou seja, Retenção de Clientes...
Sobre a minha política de retenção de clientes já me pronunciei aqui -> Exercício e Retenção de Clientes, ou seja, não tenho!!!!

Se diariamente subissem para cima da balança e verificassem um número mais baixo, e no final de cada semana enfrentassem o espelho e visualizassem resultados, continuariam fazendo o mesmo até aqui??

Claro que sim!!

Pouco importaria a dificuldade do processo, certamente seguiriam as mesmas estratégias…

Até elevariam a fasquia nos treinos e na dieta como resultado dos RESULTADOS que experimentariam….

Os Resultados são motivadores, haverá outra motivação maior?

No entanto, se não aparecerem os resultados, nunca se esforçarão o suficiente para modificar o corpo.

Infelizmente, treinar no duro e com esforço não é necessariamente equivalente a resultados. Até há muitas pessoas a treinar no duro sem chegar a lado nenhum.
Podemos escolher seguir uma dieta e escolher os alimentos errados e a balança não mexe…
Realizar horas a fio Cardio “lentilongo” semana após semana e a balança não mexe…
Ou andar esfomeado, arruinando o metabolismo, e a médio prazo ganhar peso…

Consequência? Desistimos… porque razão continuaríamos o sacrifício se não aparecem resultados???

Importa perceber qual a nossa atitude e o que pensamos sobre todo o processo: o que nos estimula a treinar? O que nos estimula a comer de forma saudável e consumir menos calorias??

Os resultados devem ser o vosso estímulo!
Por isso todas estas estratégias e dicas que disponibilizamos em www.FITsalvador.com, que consideramos eficazes, servem para que consigam atingir os vossos objectivos sem perderem tempo.

domingo, 21 de abril de 2013

Laboratório FITsalvador: Treino vs Nutrição

Quisemos demonstrar a desproporcionalidade que existe entre a facilidade com que ingerimos energia, e o esforço necessário para utilizá-la...

Juntámos os ingredientes para o desafio: uma passadeira, um assistente empenhado, uma Nutricionista Idónea e Imparcial, e um "professor" alarve com um petisco... e deu nisto:

(têm que dar o desconto pelo amadorismo... só tínhamos mesmo uma oportunidade para filmar, ou seja, um exemplar da iguaria... =P)
video

Ao fim de 2'28s, e a uma velocidade de 12km/h gastaram-se apenas cerca de 50Kcal, no entanto foi o tempo (mais que) suficiente para ingerir 500Kcal...

Como referiu a nossa Nutricionista de "serviço": "o Lauro conseguiu queimar uma dentada!".

Fica evidenciado que, mesmo que tivessem o melhor "professor" ou o melhor programa de treinos, não podem treinar uma má alimentação!

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Nutrição: Contaminação de Alimentos

Na senda das contaminações do século XXI, a exposição de alimentos a esses agentes "tóxicos" é também preocupante... para não falar que nos podemos, literalmente, intoxicar com alimentos saudáveis...

Por Ana Margarida Ramalho, Nutricionista Equipa de Saúde Pública de Beja:

"Quando pedi ao André  uma sugestão sobre o artigo deste mês a sua resposta foi muito pronta: “Contaminação dos alimentos... Vê o meu último post... Homens com mamas... ”. A minha reacção foi de espanto! =) Antes e depois de ler o artigo... Nunca tinha ouvido falar em tal... Ainda, ao iniciar este artigo penso no que vou escrever e que opinião ter... =)
Em relação a este tema apenas tenho conhecimento da contaminação química, física, microbiológica e nutricional dos alimentos, agora hormonal... será contaminação por agrotóxicos?! Vou tomar essa linha de pensamento no artigo deste mês.

O ideal numa alimentação saudável seria consumir alimentos o menos processados possível. Esta é uma advertência que já faço há muito tempo. A industrialização alimentar veio revolucionar a nossa alimentação ao ponto de as percentagens de obesidade terem aumentado muito assim como também as patologias a ela associadas. Mais gordura, mais açúcar e mais sal. Falo nestes ingredientes uma vez que são realmente os que mais contaminações nutricionais provocam. Conhecemos as contaminações químicas, físicas e biológicas, mas nas nutricionais já teríamos pensado nelas? Poucos somos os que pensamos nos alimentos enquanto contaminados nutricionalmente.

Mas também quando falamos em produtos enquanto matérias-primas, aqueles que aparecem na Roda dos Alimentos, já poderemos também considerá-los contaminados de várias formas. Quem não se lembra das dioxinas nos frangos, a BSE nas vacas – mais conhecida pela doença das vacas loucas -, o mercúrio nos peixes, os vegetais contaminados com pesticidas e herbicidas, o leite contaminado com hormonas, etc. Por este prisma não poderemos comer nada, não é verdade? Tudo isto se deve, na minha visão e de muitos outros, com as modificações ambientais no nosso planeta, com diminuição de recursos naturais como a água,  ou as alterações climáticas que tanto têm influenciado a agricultura “obrigando” a alternativas não tão desejáveis como gostaríamos.

Já somos muitos no Mundo, e esperar que os animais se criem ou os vegetais sejam suficientes, a “revolução” na produção levou a que os animais sejam “obrigados” a crescer, exemplo disso são os frangos de aviário – em 17 dias estão prontos para a grelha. Em relação aos hortícolas e frutos já nem existem os chamados frutos ou hortícolas “da época”. Apenas alguns ainda são apenas cultivados na sua própria altura. 

Penso que poucos de nós não temos a noção da importância da agricultura na nossa saúde. Há medida que os hortelões vão sendo cada vez menos, ainda há crianças que acreditam que os alimentos nascem das prateleiras dos supermercados!!
Com todas estas condicionantes “nasce” a Agricultura Biológica. Neste tipo de agricultura não se recorre a pesticidas/ herbicidas nem a adubos de síntese. Nos produtos animais não são utilizados antibióticos, hormonas ou outro tipo de produtos deste género. Defende-se tanto a saúde do consumidor como também do produtor no sentido deste ser protegido dos produtos químicos utilizados na agricultura convencional.

Que vantagens tem este tipo de agricultura?
Os alimentos que resultam deste tipo de agricultura:
-          São mais saborosos e mais saudáveis uma vez que estão livres do uso de produtos agrotóxicos; o seu valor nutricional é maior que os alimentos que resultam da agricultura intensiva. Têm mais antioxidantes, vitaminas e minerais, ou seja, as perdas nutricionais que resultam do processamento dos alimentos são menores. O facto de terem um teor de água mais baixo faz com que o seu sabor seja melhor.
-          a sua produção respeita o meio ambiente, evitando assim a contaminação da água, do solo e até mesmo das vegetações;

 Que Desvantagens terá?
A única desvantagem apontada é o seu preço. Este tipo de agricultura sai-nos mais caro. A sua produção também tem maior duração.

Não vou escrever como defensora da Agricultura Biológica, porque aderir a este tipo de agricultura terá muitas condicionantes. Temos agricultura sem ser intensiva e que se pode adquirir nos nossos mercados locais e que será mais barata do que aquela que se denomina de “Agricultura Biológica”. Ao abordar este tema, e embora tenha enumerado vantagens deste tipo de agricultura, a nossa agricultura local também não fica muito longe das qualidades desta. Falo enquanto consumidora de produtos locais. Serão mais graves as substituições que se fazem de produtos ou até de refeições pré-feitas com as que se poderiam confeccionar em casa. Ou seja, a industrialização alimentar é, nos dias de hoje, um problema nutricional. 

Hortícolas - Em todas as agriculturas se utilizam herbicidas/pesticidas embora na Agricultura Biológica, estes sejam menos agressivos. Tanto numa como noutra, os cuidados, no que se refere a segurança alimentar, não devem ser descuidados. Isto é, desinfecção dos produtos em casa. Ninguém faz isto. Quando compramos estes produtos embalados este problema já não se coloca.

Produtos cárneos (principalmente, ovos e aves de capoeira) – quando me falam em ovos “caseiros”, sinceramente não sei se é bom se é mau! =) as galinhas não sendo vacinadas, não existe controlo sanitário das mesmas, e por isso a probabilidade de transmissão de doenças é maior que no aviário. As aves de aviário têm o problema de para além das vacinas, é-lhes induzido o crescimento. Aqui é o problema. O que fazer? Cozinhar muito bem os ovos e as carnes.

Frutas – quem não gosta das frutas de tamanho grande? Má escolha!! Estes alimentos têm uma grande quantidade de água, daí o seu sabor não ser nenhum. Sei que o aspecto conta, mas já diz um ditado (relacionado às pessoas, mas digo-o neste contexto também): “feio por fora, bonito por dentro”, pior aspecto, mas melhor valor nutricional.

Peixe – os “aviários” também já chegaram à produção de peixes. A aquacultura já está bastante alargada. Pelo que já li sobre este assunto, tem menor reflexão na saúde que a produção de carne.

Leguminosas – penso que são as únicas que ainda problema algum lhes chegou. Dever-se-á dar preferência às leguminosas secas, mais baratas e mais saudáveis no que se refere ao teor de sal. Caso adquiram enlatadas, lavem-nas em água corrente. Em caso de comprarem a granel, cozam e dividam em pequenas porções (com a água da cozedura) e congelem. Estas são algumas das razões pelas quais promovo estes alimentos, para além de serem os meus favoritos, claro! =)

Gorduras – apenas azeite, óleo de amendoim e banha são as gorduras a promover na sua formal natural. O óleo de amendoim que não tenha misturas (ler bem a lista de ingredientes). Todas as outras gorduras são de evitar.

Leite e derivados -  consumi-los na sua forma mais simples, meio gordo ou magro. Em relação ao leite, simples sem adições algumas. Enriquecido em tudo a mais alguma coisa, normalmente cálcio e vitamina D. Se não os tem é sinal de que foi muito processado e perdeu muito das suas propriedades. Vitamina D temos no sol do nosso País. E cálcio temos em muitos outros alimentos (vegetais de folha verde escura).
Os iogurtes, sendo normalmente alimentos a promover, têm muitas rasteiras. Meio gordo ou magro, o que interessa é que tenha o menor número possível de ingredientes desconhecidos =)

Água – engarrafada ou da torneira. Desde que seja controlada (não ser de furos e outros locais em que não tenhamos a certeza do seu tratamento). 

Até aqui escrevi sobre os alimentos que compõem os grupos da roda dos alimentos. A seguir, e porque li e concordo com um artigo que resultou de acontecimentos recentes acerca das carnes alternativas que se consomem em produtos transformados, escrevo em tom de sensibilização.

Este artigo tinha como titulo “Bonitos só por fora”, escrito na revista Visão. Deste artigo destaco alguns pontos interessantes. São eles:

-          Salsichas em lata. Quem compra para desenrascar ou para os mais pequenos porque eles gostam? Uma análise feita pela DECO, concluiu-se que tinham excesso de água, uma qualidade de proteína razoável e abusava da gordura, dos amidos e sal. O problema para estes produtos é que os seus produtores não têm uma legislação especifica... são livres de adicionar o que entenderem.
-          Hambúrgueres embalados. Se comprados nos talhos, são 100% carne. Caso sejam embalados, apenas 80,5%  são carne. Os outros quase 20% de ingredientes que sobram ficam entre: proteína e fibra vegetal, sal, especiarias açúcares e aditivos. Especiarias ainda se aceitam, agora fibra vegetal? Ou proteína adicionadas!! Açúcar num produto cárneo??? A carne não tem açúcar na sua composição... para consumirmos proteína e fibra vegetal temos as leguminosas!!
-          Preparado em pó para puré. Este preparado contém batatas desidratadas (90%) e aditivos e contém sulfitos (utilizados como antioxidantes... podem resultar em reações alérgicas, principalmente a quem tem asma). Nem vou fazer comparação ao verdadeiro puré!!
-          Gelado com sabor a morango. De morango apenas apresentam 7%. Os restantes ingredientes são leites em pó, aditivos (corantes, emulsionantes, estabilizadores) e açúcares. Um gelado caseiro pode conter apenas iogurte/leite e morangos!! Aqui a grande diferença será na gordura saturada  que os gelados industriais apresentam. Leite e/ou iogurtes magros e fruta não contém gordura!!
-          Sumos/ refrigerantes. O teor de fruta nestes produtos alimentares é muito reduzido! Se queremos comprar um sumo de fruta ele deve conter este ingrediente, e não ser constituído por água, açúcar e dez aditivos, diz uma nutricionista neste artigo. E essa é a verdade. O teor de fruta num sumo engarrafado é muito pequeno. Estes produtos a serem aceites
-          nutricionalmente deverão ter um teor mínimo de 50% de fruta (já sei que existem no mercado... encontrem-nos! =)
-          Sopas de legumes em pacote. Entre os ingredientes desejáveis, apresentam também amidos modificados, gordura saturada (manteiga, natas, etc.) e outros aditivos (aromatizantes). Aqui também não vou falar da sopa caseira!! Quando não tiverem tempo pensem bem no valor nutricional destas sopas.

Ao final destas linhas acabei por falar mais na “contaminação nutricional” dos alimentos. É-me inevitável!!  É a minha luta diária. Mas com estes alertas, quero dizer-vos que o que promovo são os pratos/produtos alimentares na sua forma natural.

Para acabar, se calhar perguntam-se, mas afinal em que ficamos?

Referi-me a produtos industrializados dos quais não temos falta alguma para a nossa saúde e crescimento dos mais pequenos.  Equilíbrio alimentar é o que se quer!! Nos dias que correm nem todos temos tempo e/ou oportunidade ou até mesmo condições económicas para preparar produtos frescos resultantes de agricultura biológica. Desta forma, produtos enquanto matérias-primas podem ser adquiridos congelados nas grandes superfícies ou até mesmo frescos e podem ser acondicionados (refrigerados ou congelados) em casa.  Não posso de todo escolher um tipo de agricultura já que há vantagens e desvantagens. Cabe-nos a nós, enquanto cidadãos,  alterar comportamentos a que eu chamo “respeito” e que muitas campanhas têm abordado: cuidar do meio ambiente nas suas várias vertentes – água, solo, clima (vamos todos andar de bicicleta J); evitar desperdícios (alimentares); reciclagem, etc.

Bem, penso que a minha sensibilização por este artigo está lançada. Algumas coisas podemos fazer de imediato, outras com o tempo vamos conseguindo mudar.
Termino com esta frase...
“Nenhuma actividade humana, nem mesmo a medicina, tem tanta importância para a saúde como a agricultura”. Prof. Pierre Delbet (Academia de Medicina, França)""

Fontes:

Podem acompanhar a Ana na rubrica intitulada "Vida Saudável" que passa na Rádio Pax todas as quartas-feiras pelas 10h15.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Redução de Massa Gorda: homens com mamas...

Ao fim de 2.000.000 (2 milhões) de anos de evolução estamos a perder as características que nos distinguem enquanto indivíduos masculinos e femininos, estamo-nos (quase) tornando um género único... não falo ao nível sócio-cultural (descansem as feministas) mas sim fisiologicamente.

Desta vez vamos focar apenas os machos... as meninas ficam para outro dia!

Ao nível hormonal, a testosterona será um dos principais factores que acentuam esta diferença... nas senhoras, de maneira geral, a sua produção é muito reduzida.

Pelo contrário, de maneira geral, os homens produzem muito pouco estrogénio.

Sabem que mais?? Hoje em dia isto está tudo do avesso... e com tendência a piorar!

Enquanto homens a produção de testosterona era potenciada por situações de stress, trabalhos físicos pesados, etc... 

Podem imaginar à 2.000.000 de anos o stress que seria fugir dos predadores, e o stress que seria procurar alimento para sobreviver, caçar, frio, calor...