quinta-feira, 15 de novembro de 2012

5 razões para enterrar o Cardio... antes que nos enterre! [PERIGO]

Recentemente têm vindo à baila muitos estudos que acrescentam mais 5 razões para enterrar o Cardio “Lentilongo”.

Estas últimas publicações mostram que se não for por razões desportivas, não haverá muito boas razões para insistir nas intermináveis sessões cardio…

No estudo "Whydo individuals NOT lose more weight from an exercise intervention at a defineddose? An energy balance analysis", os investigadores constaram que a redução do peso através do cardio foi sempre inferior que o previsto.

O artigo publicado na Obesity Reviews mostra que o cardio não serve por 4 razões:
  ·         Alguns indivíduos comem mais quando iniciam um programa de treinos cardio
  ·         O gasto calórico em repouso desce frequentemente com o cardio
  ·         O gasto calórico através do tecido magro é frequentemente perdido…
  ·         Os programas de treino cardio resultam em menor actividade ao longo do dia

Portanto, se esperam perder peso com o cardio, estas são algumas razões porque não está a funcionar…

(um parêntesis)
Recentemente mais um estudo, desta vez na china, demonstrou a eficácia do treino intervalado na redução de gordura.
No estudo publicado no Journal of Sports Medicine and Physical Fitness (2012 Jun;52(3):255-62), sessenta adolescentes do sexo feminino com sobrepeso foram divididas em 3 grupos:
  ·         Grupo 1: Treino Intervalado de Alta Intensidade (HIIT) – 5 dias/semana durante 12 semanas
  ·         Grupo 2: Treino Continuo de Intensidade Moderada (MICT) – 5 dias/semana durante 12 semanas
  ·         Grupo 3: Grupo de controlo sem programa de treinos
Os investigadores concluíram que o grupo do treino intervalado obteve melhores resultados que o grupo de treino continuo…
(fecha parêntesis)

Não é novo falarmos que o treino intervalado é mais vantajoso para incinerar gorduras do que o cardio “lentilongo”… portanto aqui vai a 5ª razão para se evitar o cardio… assustadora!

Num estudo publicado na Mayo Clinic Proceedings (2012Jun;87(6):587-95), os investigadores relatam que poderão haver efeitos cardiovasculares potencialmente adversos no treino de resistência.

 
Naturalmente, depois de um treino muito extenso sentimos os músculos doídos, ou seja, danificados. O nosso coração é… um músculo.
Quando o treino é muito extensivo no tempo o coração é danificado muito acima do desejável, e a longo prazo pode criar lesões.

Os investigadores referiram que enquanto os treinos curtos e regulares são benéficos para o coração, os treinos excessivamente longos podem causar uma “remodelação estrutural patológica” (altera forma) do coração e alargar as artérias.

Estes cientistas revelaram que o treino e a competição em eventos extremos como maratonas, ultramaratonas, triatlos do tipo ironma, e corridas de bicicletas muito longas, danificam o coração.
E que se for feito durante anos, pode criar fibrose miocárdica irregular que, segundo os investigadores, pode conduzir a arritmias.

Sem comentários:

Publicar um comentário