sábado, 15 de setembro de 2012

Nutrição: Bem-vindos à temporada 2k12| 2k13


Não é novidade a admiração que tenho pela nossa Nutricionista de "serviço", pela sua quota parte do nosso sucesso, e pela prontidão em dar continuidade a este projecto!

As boas vindas da Nutricionista da Equipa de Saúde Pública de Beja, Ana Margarida Ramalho:

"Bem-vindos a mais uma temporada FITsalvador! Bem-vindos aos resistentes e bem-vindos os novos membros desta equipa, atletas e professor!  

Começo por fazer um balanço destas semanas de “férias”. Eu vou ser sincera, pensei mesmo em desistir e retomar em setembro só com o André! Mas como não gosto de desistências, e se estou sempre a apregoar isso aos meus utentes, não podia dar parte fraca. Aquele “Está tudo bem?” acompanhado dum sorriso maroto e a minha falta de forças não dava para aguentar!! Mas aguentei-me e estou pronta para a próxima temporada!

Gostei muito da ideia destes treinos complementarem os do André, penso que será uma mais-valia para todos, dando-nos uma maior opção de dias de semana, o que já não é desculpa para não se praticar actividade física, além de complementar dois tipos de “esforços”.·=)

Meninas e meninos tenho um desafio para este ano! O meu desafio é aumentar a redução de massas gordas – que no ano anterior chegou a ser, apenas num mês, de 30kg em 15 senhoras (gordura pura). Por isso toca a trabalhar ainda mais esta nova temporada! Eu já prometi a mim própria que este ano vou ajudar neste objectivo! Como já vos disse, eu ganhei pólos, mas sem mérito!! =)

Bem, mas falando em férias, a quem as teve espero que tenham sido o que realmente significam, descanso, despreocupação (q.b.), lazer!! Férias são isso mesmo… No entanto, por vezes, a pressão da alimentação é tão grande que o prazer que se tem nesta altura do ano acaba por ter um efeito bem pior que o desejado. Quanto mais se prendem, pior!! Lembram-se do verbo do artigo do mês de Julho? DESPRENDER!

Este ano não vou começar por dar orientações, no pós-férias, para perder peso! Vou começar por aquilo que acho que são os pilares para uma mudança de comportamentos.

São pequenas mudanças com grandes consequências.

E por onde devemos começar? Fixando objectivos realistas, tendo consciência das armadilhas que poderemos encontrar pelo caminho e que afectam principalmente as pessoas que tentam fazer mudanças saudáveis. Primeiro há que ter consciência que um novo comportamento não se torna num hábito de um momento para o outro. Há que ter persistência para atingir o objectivo a que nos propusemos. E saibam que não será uma recaída que vai atrapalhar esta intenção de mudança.

Sou apologista do “Diário da Mudança”, chamemos-lhe assim. Arranjem um caderno onde possam apontar todos estes passos para a mudança quer de hábitos alimentares quer de actividade física.

Por exemplo: o que há de bom em não ter uma alimentação saudável e ser sedentário; o que há de bom em ter uma alimentação saudável e praticar actividade física. Os custos de não ter uma alimentação saudável e ser sedentário; os custos de ter uma alimentação saudável e praticar actividade física.
Com este exercício, compreendam porque devem mudar. Enquanto não houver esta compreensão, a mudança será dificultada. 

Depois desta análise, definir o objectivo! Vestir a roupa que já não serve? Não gosto deste, mas há quem o tenha, perder 10,20 ou 30 kg? Pois bem, que seja! Fazer a próxima maratona de Lisboa? Muitos objectivos existem para delinear e atingir…

Sendo um objectivo grande, há que decompô-lo em passos mais pequenos. É aqui que muitas vezes falhamos. Subir a escada de uma só vez não dá!! Vamos degrau a degrau. Só o facto de chegar à primeira meta, é sinal de motivação para o objectivo seguinte. Responsabilizem-se nesta caminhada! Escrevam um contrato ou algo parecido que vos faça cumprir os objectivos propostos. Ou façam essa promessa a alguém (cuidado com os ajudantes das dietas, como eu lhes chamo). Ofereçam-se uma recompensa cada vez que atingirem um objectivo! Fiquemos gratos pelo nosso caminho… não existe perfeição. Preocupem-se em como atingir o objectivo e, não em atingir o objectivo a todo o custo.

A maneira como pensamos tem um grande peso neste processo. Alguns exemplos: “devia fazer caminhadas ou actividade física todos os dias!”. Aconselho que pensem assim: “se fizer actividade física diariamente sentir-me-ei muito melhor”. Pensando desta forma tem um peso completamente diferente. “Não posso comer doces!”. Será melhor dizer:”vou beber mais água do que refrigerantes!”. “Estou de dieta!”… Será melhor dizer/pensar: “estou a aprender a comer” ou “estou a tornar-me uma pessoa saudável”. Estes são alguns exemplos que ouvimos/dizemos e que nos castram. Há que suavizar a nossa mente.

Resumindo: escrever um objectivo; decompô-lo em pequenos passos; contar com armadilhas (identificar essas armadilhas – família, amigos, festas, etc.); congratularem-se por atingir o objectivo delineado; pensar sempre de modo positivo, e não em forma de crítica destrutiva; não apostar no tudo ou nada; façam uma avaliação dos vossos progressos; pensem em como resolver o problema e não percam tempo a pensar no problema.

Bem, não fui muito objectiva na minha escrita este mês, mas foi de propósito! Este é um trabalho intrínseco e não que dependa de outros… um mês para este exercício, meninas e meninos!  =)"

Estas e outras dicas podem ser acompanhadas na rubrica intitulada "Vida Saudável" que passa na Rádio Pax todas as quartas-feiras pelas 10h15 

Sem comentários:

Publicar um comentário